• Santos SP (13) 3221-4244 | São Paulo - SP (11) 5084-1641 | João Pessoa PB (83) 3031-6542 | Campina Grande PB (83) 3341-5354
  • contato@drmariomedeiros.com

 

Mentoplastia ou cirurgia do queixo, é um procedimento cirúrgico para remodelar o queixo utilizando-se implantes (aumento) ou o próprio osso, por intermédio de fraturas que podem avançar ou recuar o mento. Muitas vezes, o cirurgião plástico pode recomendar a cirurgia do queixo juntamente com a cirurgia do nariz, de modo a atingir proporções faciais equilibradas − isto porque o tamanho do queixo pode aumentar ou diminuir o tamanho percebido do nariz. Esta cirurgia ajuda a proporcionar equilíbrio harmonioso de suas características faciais para que se sinta melhor com a sua aparência.

A mentoplastia pode ser de aumento ou de redução e pode prever o uso de materiais aloplásticos (próteses), ou a mobilização do osso (avanço ou recuo da mandíbula/mento).

Assim como o nariz, o queixo desempenha um importante papel nas relações de proporção facial. De forma geral, sua projeção acompanha uma linha vertical perpendicular à raiz nasal. Além do nariz, deve estar em perfeito equilíbrio com a boca, olhos e a fronte.

O procedimento é realizado sob anestesia local e sedação, e pode ser associada a outras cirurgias como a rinoplastia ou o “face-lifting”. A duração da cirurgia para o aumento do contorno do queixo é de cerca de 30 minutos, quando realizado isoladamente. A cirurgia é feita de forma ambulatorial, ou seja, com alta prevista para o mesmo dia. Consiste na incisão debaixo do queixo e dissecção de um espaço justo ósseo para encaixar a prótese, que é fixada aí antes de se dar os pontos de fechamento dos tecidos. Existem também técnicas de implante destas próteses por via intra-oral. A pequena cicatriz deixada pela cirurgia é quase imperceptível e se localiza logo abaixo do queixo. O seu cirurgião irá esclarecer todas estas possibilidades na consulta de pré-operatório.

O silicone sólido vem sendo usado há vários anos no mercado da cirurgia sem que se tenha detectado a relação de doenças cancerígenas a ele associadas. Podem ocorrer casos de extrusão da peça de silicone (raros) devido a vários fatores como infecção, traumatismo sobre a área operada, hemorragia etc. Nesses casos, retira-se a peça mediante simples cirurgia, com anestesia local, sendo que posteriormente (não menos que 6 meses) poderá ser introduzida uma nova peça.

 

 

 

 

Menu Mobile